terça-feira, 6 de janeiro de 2009

QUAL A IMPORTÂNCIA DE CURSOS PROFISSIONALIZANTES?


O Curso Profissionalizante como Fonte de Ascensão Social

Uma das grandes questões de todos os programas sociais é o dilema entre fornecer o sustento imediato para as famílias miseráveis e, ao mesmo tempo, impedir que elas se tornem escravas da ajuda e deixem de evoluir para que continuem recebendo a ajuda governamental. É o famoso conceito de “ensinar a pescar além de dar o peixe”. E, em relação à “ensinar a pescar”; nada pode ser mais efetivo do que fornecer o acesso aos beneficiários dessa ajuda governamental ao curso profissionalizante . Dando aos membros carentes dessas famílias miseráveis a possibilidade de aprender uma profissão e ganhar o próprio sustento através de um pequeno negócio rentável, é a chave para reduzir a miséria e ao mesmo tempo elevar a condição social dessas famílias e de seus membros.

O curso profissionalizante pode ser um aliado indispensável e magnífico para todas as ações sociais que visem uma real solução para o problema da miséria e do caos social que algumas regiões do país vivem. Contudo, é importante ressaltar e fazer com que os políticos entendam, que apenas o curso profissionalizante não será capaz de resolver o problema. É necessário que, juntamente com o curso profissionalizante, sejam mantidos convênios com empresas. Ou seja, é necessário que seja dado o apoio, tanto logístico como financeiro, para os novos formandos que queiram implementar um negócio próprio ou abrirem uma cooperativa.

As ONG’s e os agentes governamentais responsáveis pela aplicação e fiscalização dos programas sociais em determinadas regiões; deve fazer do curso profissionalizante um aliado definitivo que deverá ser apoiado e incentivado sob todos os aspectos. Assim, com o passar do tempo, um volume muito maior de pessoas poderá deixar de ser um assistido e passar a contribuir para os programas sociais; pois estará gerando renda e riqueza com o que aprendeu no curso profissionalizante.

Da mesma forma, iniciativas de criação de centros capazes de ministrar um curso profissionalizante de qualidade, devem ser acolhidas e abrigadas como forma de criação de pólos de aprendizado e de capacitação para a população em condição de miséria ou de pobreza absoluta. Garantindo que, mais tarde, essas pessoas possam ascender socialmente e deixar os programas sociais. A aplicação do sistema de curso profissionalizante, mas a obrigatoriedade de capacitação para os beneficiários dos programas sociais; seria um fator de diminuição das disparidades de renda e sociais que tanto envergonham a nossa nação.

O curso profissionalizante deve ser tratado como uma oportunidade de ouro, capaz de libertar milhões de brasileiros do ostracismo social e da indigência mendicante. Ao invés de criar-se uma legião de zumbis sociais viciados e dependentes de programas sociais e uma massa de manobra alienada para políticos oportunistas de plantão. Todo cidadão consciente deve perguntar-se porque o governo não inunda os estados da ação com centros que ofereçam um curso profissionalizante de qualidade para os interessados gratuitamente. Assim, nosso mercado de trabalho, faminto por profissionais qualificados, teria suas vagas preenchidas finalmente. Talvez a resposta seja mais simples do que a própria pergunta. Afinal o que interessa mais a nossos políticos; oferecer um bom curso profissionalizante para os cidadãos pobres ou tê-los sempre sob o cabresto e a servidão da dependência social?

Pense nisso.

Um comentário:

Anônimo disse...

sitezinho meia boca!!!